SÃO PAULO - Uma jovem motociclista morreu nesta quarta-feira ao ser atingida por uma linha com cerol (mistura de cola de madeira e vidro moído que se passa na linha das pipas), em Sorocaba, no interior de São Paulo. A lojista Eglen Aparecida de Araújo Sales, de 23 anos, transitava por um trecho urbano da Rodovia Raposo Tavares e não viu a linha com substância cortante que estava enroscada numa passarela de pedestres, na altura do quilômetro 97.

A linha enroscou no pescoço de Aparecida, que foi arrancada da motocicleta. Ela usava capacete, mas, mesmo assim, o fio quase a decapitou, cortando 80% do pescoço. Uma amiga que estava na garupa também caiu, mas não foi tocada pelo cortante.

Quando o Corpo de Bombeiros chegou, encontrou Aparecida morta. A amiga entrou em estado de choque e teve de ser levada para o Hospital Regional da cidade. A pessoa que empinava o papagaio não foi localizada.

Na região, a rodovia corta o bairro dos Morros e a Vila Sabiá. O uso do cerol é proibido por lei municipal. Há dois anos, um motociclista também teve a garganta cortada por uma linha, mas sobreviveu.

Leia mais sobre: cerol

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.