Além de ser um dos contemplados no projeto Violeiros do Brasil, de Myriam Taubkin, o mineiro Pena Branca, que fez dupla com o irmão Xavantinho, participa do 4º Festival Estação Viola - Mostra Internacional de Viola. Com entrada franca, o evento começa amanhã nas estações Sé e República da Companhia do Metropolitano (Metrô) de São Paulo.

Pena toca às 13 horas na Sé, logo após a apresentação do Matuto Moderno. Na República, a atração é o grupo Os Favoritos da Catira, às 17h30.

Como projeto de Myriam, o festival também visa a mostrar diversos aspectos da viola, por meio de expoentes de várias gerações. Entre os músicos que vão se apresentar nos dois palcos (sempre às sextas-feiras nos mesmos horários) até o dia 29, estão Índio Cachoeira e Cuitelinho (dia 8), Paulo Simões e Maria Dapaz (15), Vidal França e Mazé (22), o americano Wood Mann e a Orquestra Paulistana de Viola Caipira (29).

O Matuto Moderno é uma das mais curiosas atrações, porque tem um pé na tradição e outra na modernidade, combinando viola com guitarra, baixo, violão, percussão e bateria. Um de seus integrantes é o violeiro Ricardo Vignini, responsável pela divulgação do trabalho de Índio Cachoeira.

Além dos shows, o festival promove palestras e conversas sobre a música de viola. A primeira vai ser com o cineasta Luiz Alberto Pereira, diretor do filme Tapete Vermelho , que será exibido às 18 horas de amanhã na estação República.

Os músicos que se apresentam na mesma estação, dentro do programa Conversa em Mi Maior, vão contar histórias durante seus shows. Entre eles estão Zé Gomes e Paulo Simões, que falam de viola pantaneira. Até o dia 30 também fica em cartaz na República a exposição Folias e Arredores, com imagens da fotógrafa Rita Perran. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.