A mostra Ocupação Chico Science, que será aberta ao público a partir de quinta-feira, no Itaú Cultural, em São Paulo, traz o universo do cantor e compositor nascido em Olinda, em 1966, e morto em um acidente de carro em Recife, no início de 1997. A exposição inclui filmes, grafite, shows e encontros com representantes da cena Manguebeat.

Musicalmente, o movimento misturava maracatu com rock, hip hop e eletrônica. Conceitualmente, tratava-se da criação de uma cena "capaz de conectar as boas vibrações dos mangues com a rede mundial de circulação de conceitos pop", como diz o manifesto "Caranguejos com Cérebro", escrito pelo compositor e cantor Fred 04 em 1992. O símbolo do Manguebeat era uma antena parabólica cravada na lama. Chico Science, o seu ícone.

A ocupação não se resumirá ao espaço físico. "É uma ação de documentação e pesquisa, de organizar acervos dispersos. Além do trabalho do Chico, a exposição está centrada em todo o contexto de ideias do movimento", afirma Edson Natale, gerente do Núcleo de Música do Itaú Cultural. Segundo Natale, o trabalho permanecerá registrado no site www.itaucultural.org.br/ocupação.

Além da equipe do Itaú Cultural, a exposição tem curadoria coletiva de amigos, família e parceiros do cantor, como os músicos Dolores & Morales (Helder Aragão e Hilton Lacerda) e a irmã e a filha de Science, Goretti França e Louise.

A mostra contou ainda com a importante participação de Paulo André, criador do festival Abril pro Rock, peça-chave na cena de Recife, amigo e produtor de Science e dos mangueboys e manguegirls que voltaram a colocar Recife no mapa da música pop na década de 1990.

Ocupação Chico Science . Itaú Cultural - Avenida Paulista, 149. Tel. (011) 2168-1776/1777. De 4 de fevereiro a 4 de abril. De terça a sexta, das 10h às 21h; Sábados, domingos e feriados, das 10h às 19h. Entrada franca.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.