Mortos passam de 130 em Niterói

RIO (Reuters) - Os bombeiros continuavam trabalhando neste sábado no resgate de vítimas soterradas no Morro do Bumba, em Niterói, em meio a lama, lixo e destroços das casas devastadas pelo deslizamento, elevando para 31 o número de mortos no local. No Estado, as vítimas fatais das chuvas chegam a ao menos 221. O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil trabalham desde a noite de quarta-feira no morro em Niterói, onde o deslizamento soterrou dezenas de casas numa área construída sobre um lixão.

Reuters |

Neste sábado, além dos corpos retirados do local, foi registrada a morte de uma vítima que estava hospitalizada desde a noite da tragédia.

Com isso, a cidade mais atingida pelas chuvas, tem agora 138 vítimas fatais por conta do temporal que começou na noite de segunda-feira, atingindo a capital e região metropolitana.

Na capital, onde a chuva também derrubou morros, o número de mortos chega a 63, a maioria também em um deslizamento de terra que cobriu várias casas no Morro dos Prazeres, em Santa Teresa.

O governador do Rio, Sérgio Cabral, anunciou neste sábado que a casas nas imediações do lixão do Morro do Céu, também em Niterói, serão desapropriadas, depois de denúncias de moradores de risco de uma tragédia similar. "Os trabalhos começaram com o levantamento do número de famílias que moram na região, assim como quantos imóveis existem no local e o valor da indenização a ser paga aos desapropriados", informou o governo do Estado no site oficial.

Cabral visitou neste sábado o Morro do Bumba, onde equipes de resgate trabalham incessantemente desde a noite de quarta-feira, sob os olhos de familiares e vizinhos desesperados por notícias dos desaparecidos.

No Estado, o total de desabrigados ou desalojados pelas chuvas passa de 50.000 pessoas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG