Mortes por H1N1 chegam a 22 no Brasil; PR tem 1o óbito

SÃO PAULO (Reuters) - O Paraná confirmou na noite desta terça-feira a primeira morte causada pela gripe H1N1 no Estado e a prefeitura de Osasco, na Grande São Paulo, anunciou a terceira vítima fatal da doença, o que levou a 22 o número de pessoas mortas por conta da nova gripe no país. A primeira morte no Paraná foi de uma mulher adulta que morreu no dia 16 de julho, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde paranaense. Já a terceira vítima fatal de Osasco, a nona no Estado de São Paulo, é uma mulher de 23 anos que estava internada desde a semana passada em estado grave.

Reuters |

Mais cedo, a secretaria estadual de Saúde de São Paulo havia confirmado mais cinco mortes causadas pela gripe H1N1.

Quatro mortes foram confirmadas na capital paulista e uma em Campinas, no interior, informou a Secretaria Estadual de Saúde.

A primeira vítima fatal da doença na capital paulista foi uma mulher, de 68 anos, que morreu no dia 12 de julho. De acordo com nota da secretaria, ela apresentava vários fatores de risco, como cardiopatia, hipertensão arterial e asma brônquica.

Foi confirmada também a morte de uma gestante de 27 anos, no dia 14 de julho. Segundo a pasta, o parto foi realizado no dia 9 de julho e o bebê passa bem.

No dia 13 de julho, registrou-se a morte de um homem de 50 anos e, no dia 18, a de uma mulher de 44 anos.

Em Campinas, a primeira vítima fatal da cidade foi uma mulher de 26 anos que faleceu no dia 17 de julho.

Das outras mortes confirmadas no país pela nova doença, 11 foram no Rio Grande do Sul e uma no Rio de Janeiro.

Segundo o último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde no dia 15, há 1.175 casos confirmados de gripe H1N1 no país. Os Estados com maior número de casos são São Paulo (512 registros), Rio Grande do Sul (135), Rio de Janeiro (128) e Minas Gerais (109).

O próximo boletim será divulgado na quarta-feira.

REFORÇO EM CAMPANHA

O Ministério da Saúde reforçará sua campanha de conscientização sobre a nova gripe.

Além dos panfletos que já são distribuídos em postos da Polícia Rodoviária Federal em seis Estados, o ministério enviará mensagens por celular em sete Estados.

Em outra parceria, correntistas do Banco do Brasil estão recebendo mensagens nos extratos bancários sobre a nova gripe.

"Essas parcerias têm sido de extrema importância para que o Brasil consiga minimizar os efeitos da doença em todo o território nacional", disse Marcier Trombiere, chefe da Comunicação do Ministério da Saúde, em nota.

Nesta terça-feira, o ministério deu início a nova campanha em rádio e TV, reforçando informações sobre formas de contágio, transmissão e tratamento da doença.

(Por Hugo Bachega)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG