A morte de um paciente por febre amarela silvestre em Santo Ângelo, na região noroeste do Rio Grande do Sul, no dia 25, foi divulgada hoje pela Secretaria Estadual da Saúde (SES). A enfermidade foi contraída, provavelmente, na zona rural de Eugênio de Castro (RS).

Uma nova ocorrência suspeita foi comunicada ontem, em Porto Alegre, de acordo com o governo do Rio Grande do Sul. O paciente esteve em Pirapó (RS). Mas a comprovação está sujeita a exame de laboratório do Instituto Adolfo Lutz (IAL).

O secretário estadual da Saúde, Osmar Terra, afirmou que 500 mil doses de vacina foram aplicadas em habitantes de zonas de risco, na região noroeste, e que um reforço de mais de 500 mil doses foi pedido ao Ministério da Saúde. "Nossa recomendação é para que todos os moradores dessas áreas de risco, bem como os viajantes com destino a essas localidades, se vacinem", alertou. A imunização contra a febre amarela dura dez anos e pode ser ministrada em crianças a partir dos 9 meses.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.