Paula Gil. San Francisco, 3 jul (EFE).- A última semana foi a pior na história do mundo do entretenimento, pelo menos para os que acreditam em tudo o que aparece na internet: depois de Michael Jackson, Jeff Goldblum, Natalie Portman e George Clooney, entre outros, também teriam partido desta para uma melhor.

Felizmente, Goldblum, Portman e Clooney continuam vivos, mas todos foram dados como mortos em vários sites e redes sociais da internet, onde as notícias de supostos falecimentos de famosos foram recorrentes nos últimos dias.

A rapidez com que a informação se movimenta na rede torna cada vez mais difícil frear mentiras e, algumas vezes, até os leitores mais prudentes têm problemas para distinguir a notícia real do boato.

Afinal de contas, o comediante americano Ed McMahon, a atriz Farrah Fawcett e Michael Jackson faleceram num intervalo de apenas dois dias; por isso, muitos pensaram que saber de outra celebridade morta era algo perfeitamente possível.

Muitos dos rumores dos últimos dias foram divulgados por meio da página "fakeawish.com", propriedade de Rich Hoover, na qual os leitores podem colocar nomes de famosos em cinco possíveis notícias falsas - quase todas sobre falecimentos.

Embora os usuários do "fakeawish.com" saibam que o site se trata de ficção, as supostas mortes se espalharam rapidamente em redes como Facebook ou Twitter, onde muitos as tomaram por verdadeiras.

Assim, Natalie Portman supostamente morreu ao cair de um despenhadeiro na Nova Zelândia, o mesmo motivo do hipotético falecimento do ator Jeff Goldblum.

Segundo outra das mentiras que circularam nos últimos dias, o avião no qual viajava George Clooney desapareceu quando sobrevoava o estado americano do Colorado. Resultado: o empresário do ator teve que responder a dezenas de ligações de amigos alarmados com a falsa morte.

Britney Spears também nos deixou esta semana segundo diversas mensagens publicadas no Twitter, onde os representantes da cantora postaram no domingo um desmentido de menos de 140 caracteres, o máximo permitido pelo serviço de microblogging.

Outra celebridade que passou recentemente para o outro lado da vida em muitos sites é Harrison Ford, cujo iate teria sido atingido por um raio enquanto navegava no meio de uma tempestade na Riviera francesa.

A notícia da morte do ídolo dos anos 80 Rick Astley circulou na "iReport.com", uma página da rede de televisão "CNN" na qual os usuários são os que publicam os conteúdos.

O "iReport.com" ganhou fama há alguns meses, quando um usuário publicou que Steve Jobs, executivo-chefe da Apple, teria sofrido um ataque cardíaco.

Jobs se encontrava perfeitamente bem, mas a "notícia" derrubou o preço das ações da companhia então.

Os autores do boato sobre a morte de Astley utilizaram um comunicado com um logotipo falso da agência de notícias "AP" assegurando que o corpo do cantor tinha sido encontrado sem vida em um hotel de Berlim.

Na terça-feira, Rick Astley era um dos nomes mais "twittados" e o clipe de sua música "Never Gonna Give You Up" acumulava hoje 18 milhões de visitas no YouTube - ou seja, uma morte, mesmo que falsa, vem a calhar para aumentar a popularidade.

Jeff Goldblum, por sua vez, recebeu grande atenção da mídia após ser dado como morto e até apareceu no programa de televisão do comediante americano Stephen Colbert, quem brincou ao dizer que o ator, embora falecido, também estava no estúdio.

O "fakeawish.com" também está se beneficiando de tantos rumores fúnebres: a página recebe normalmente alguns milhares de visitas diárias, mas neste último final de semana esse número chegou a meio milhão de visitantes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.