Pelo terceiro dia consecutivo houve troca de tiros no Morro do Juramento, na zona norte do Rio de Janeiro. A circulação de trens da linha 2 do metrô teve de ser interrompida por três vezes durante a tarde por motivos de segurança.

Ontem, homens do 9º Batalhão da Polícia Militar reforçaram o policiamento na favela e fizeram operação na região para apreender drogas e armas. Apesar do confronto com os criminosos, nada foi encontrado. Também não houve feridos, segundo a polícia.

A circulação de trens do metrô entre as estações Tomás Coelho e Pavuna foi interrompida, ao todo, por 24 minutos, entre 14h44 e 15h35. O período mais longo de paralisação ocorreu entre 14h44 e 14h58. A concessionária informou que não houve qualquer incidente envolvendo os passageiros. No sábado à tarde, o intenso tiroteio já havia provocado a paralisação da linha 2 por 12 minutos.

A situação é tensa no Morro do Juramento desde a noite de sexta-feira, quando traficantes do Comando Vermelho invadiram o morro para retomar as bocas-de-fumo, que desde maio estavam sob o comando da facção Amigo dos Amigos. Cerca de 100 homens chegaram em um caminhão e em carros. Houve intenso tiroteio entre os grupos rivais, que se estendeu por sete horas, entre a madrugada de sábado e a manhã de domingo.

Cinco policiais militares que patrulhavam o morro ficaram encurralado e foram feridos - um deles, Delmo de Arruda da Costa Lima, atingido na cabeça, continua internado em estado grave. Os confrontos entre as facções rivais se repetiram no domingo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.