As chuvas que atingiram o Morro do Bumba, em Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro, deixaram ao menos 48 mortos - 27 homens e 21 mulheres -, segundo o último balanço da Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Rio de Janeiro (Arpen-Rio), responsável por registrar os óbitos no morro. De acordo com o levantamento, até o fim da noite de ontem, dos 48 registros de óbitos realizados no posto do cartório instalado no local, 10 foram de idosos, 24 de adultos, 12 de crianças e dois de pessoas com idade não confirmada.

Os familiares puderam recorrer ao posto montado no Instituto Médico Legal (IML) do Rio ou ao ônibus da Justiça Itinerante, que está de plantão no morro.

De acordo com o presidente da associação, Cláudio Almeida, os cartórios, a Defensoria Pública e o Tribunal de Justiça estão trabalhando em conjunto para minimizar ao máximo os empecilhos para os registros de óbito.

"Quando ocorreram os deslizamentos em Angra dos Reis, as famílias enfrentaram uma série de dificuldades em função do recesso forense. Dessa vez, já estávamos mais preparados e resolvemos nos unir para ajudar as famílias. Se alguma autorização judicial for necessária, teremos juízes à disposição no ônibus (no Morro do Bumba)."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.