Morre professor e cientista político Gildo Brandão

Foi velado nesta terça-feira em São Paulo o corpo do cientista político Gildo Marçal Brandão, professor da Universidade de São Paulo (USP). Ele faleceu na segunda-feira à noite, em São Sebastião, no litoral paulista, onde repousava com a família.

Agência Estado |

Estudioso da história do pensamento político brasileiro, Brandão era "um dos intelectuais mais respeitados e reconhecidos em sua área de atuação", de acordo com o texto da nota oficial divulgada ontem pelo chefe do Departamento de Ciência Política da USP, professor Álvaro Vita.

A diretoria da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (Anpocs) também divulgou comunicado lembrando as "importantes contribuições" de Brandão à análise da política brasileira. A nota cita como exemplos os livros "A Esquerda Positiva" (As Duas Almas do Partido Comunista, 1920-1964), que resultou de sua tese de doutorado; e "Linhagens do Pensamento Político Brasileiro".

Brandão graduou-se em filosofia pela Universidade Federal de Pernambuco em 1971. Nos anos 80 foi um dos editores do jornal Voz da Unidade, do antigo PCB. Na USP, obteve o título de doutor em 1992 e tornou-se livre docente em 2004. Foi secretário adjunto da Anpocs entre 2004 e 2008. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

    Leia tudo sobre: morte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG