Morre presidente da Rede Paranaense de Comunicação

O advogado, jornalista e empresário Francisco Cunha Pereira Filho, de 82 anos, morreu às 23h55 de ontem em Curitiba, em decorrência de parada cardiorrespiratória. Ele era diretor-presidente da Rede Paranaense de Comunicação (RPC), maior conglomerado de comunicação do Paraná, que inclui dois jornais diários, entre eles a Gazeta do Povo; oito emissoras de televisão, retransmissoras da Rede Globo; duas rádios e um portal na internet.

Agência Estado |

O governo do Paraná decretou luto oficial por três dias pela sua morte.

Nascido em 7 de dezembro de 1926, em Curitiba, o doutor Francisco, como era conhecido, formou-se em Direito pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) em 1949. Apesar de ser um advogado criminalista atuante e professor de Direito na UFPR, foi atraído pelo jornalismo a partir de 1962, quando, em sociedade com o empresário Edmundo Lemanski, comprou a "Gazeta do Povo", que se dedicava a anúncios, e transformou-a no maior jornal do Paraná. E, sob sua orientação, fez do veículo de comunicação um defensor dos interesses do Estado. Em 1965, comprou a TV Paranaense em Curitiba e expandiu o conglomerado para todo o Estado.

"O doutor Francisco deixou um legado de caráter, de sabedoria, de ponderação, de equilíbrio, um legado que deve ser seguido por todos os paranaenses, não apenas os homens públicos, mas as pessoas que querem o bem deste Estado", elogiou o prefeito de Curitiba, Beto Richa. "Ele sempre se engajou de forma voluntária e incondicional nos temas de interesse do Estado do Paraná, na defesa da nossa terra."

O governador Roberto Requião (PMDB), um crítico da postura da "Gazeta do Povo" por considerá-la parcial quando trata de ações de seu governo, emitiu uma nota destacando as "tantas campanhas cívicas que o Dr. Francisco lançou e liderou com êxito, em benefício dos paranaenses". "Independente de convergências ou divergências, o Dr. Francisco marcou sua passagem entre nós. E isso deve ser destacado e respeitado", disse a nota. "Ressalto sua importância para a nossa imprensa, já que ele se pôs como um dos modernizadores dos meios de comunicação em nosso Estado."

Pereira Filho deixa viúva Terezinha Döring Cunha Pereira e os filhos Francisco Neto, Guilherme, Ana Amélia e Cristina, além de sete netos. O velório está sendo realizado na Faculdade de Direito da Universidade Federal do Paraná e o enterro será às 18 horas no Cemitério Municipal de Curitiba.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG