Morre PM que sofreu ataque de criminosos em Cotia-SP

O soldado da Polícia Militar (PM) Kleberson Toledo morreu no ataque com alto poder de fogo contra um carro da Guarda Civil de Cotia, região metropolitana de São Paulo, ocorrido na noite de ontem. O veículo, que estava em um posto de gasolina, foi perfurado por mais de 20 tiros, e uma das paredes do local apresentava mais de 60 marcas de bala.

Agência Estado |

Dois guardas civis ficaram feridos. Um suspeito foi preso na Rodovia Raposo Tavares, próximo à rua onde um dos carros dos bandidos foi localizado, e encaminhado ao 1º Distrito Policial (DP) de Cotia.

Segundo testemunhas, entre seis e dez homens chegaram ao posto por volta das 20 horas em dois automóveis e começaram a atirar contra o veículo policial. Os criminosos portavam um fuzil 552, uma metralhadora 9 mm, uma escopeta calibre 12 e pistolas .40 e 380, afirmou o guarda civil José Roberto Augusto, após análise das cápsulas encontradas no chão.

O PM, de 32 anos, estava no local conversando com os guardas civis e tentou se proteger atrás da viatura, mas foi atingido na cabeça por um tiro de fuzil e morreu antes de chegar ao hospital. Um guarda civil de 30 anos foi atingido por um tiro de fuzil na perna e sofreu fratura exposta, mas não corre risco de morrer. Seu colega, de 47, foi alvejado na coxa e na barriga e também está fora de perigo.

O carro da Guarda Civil foi destroçado pelos tiros. Uma das perfurações, do lado esquerdo, tinha cinco centímetros de diâmetro, e os quatro pneus estavam furados. Segundo Augusto, o ataque teve como objetivo "intimidar" a Guarda Civil de Cotia, que prendeu, na semana passada, um dos líderes da facção Primeiro Comando da Capital (PCC) no município.

"Esta ação foi uma represália à prisão de um dos líderes do crime organizado", disse Augusto. Segundo ele, a Guarda Civil de Cotia é "muito atuante" e responde por cerca de 80% das ocorrências na cidade. Os dois carros utilizados na ação foram localizados algumas horas depois, ainda em Cotia. Em um dos veículos, foi encontrado um carregador de metralhadora 9 mm no banco do passageiro.

Em patrulhamento após o ataque, um homem armado foi localizado pela Força Tática. Ele teria fugido para dentro de uma casa e trocado tiros com os agentes. O suspeito morreu no local. Mas até o fim da madrugada, não havia sido apontado ligação entre ele e o ataque no posto de gasolina.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG