Morre o pugilista Jefferson Gonçalo

O pugilista passou por uma série de exames mas não respondeu aos estímulos

Márcio Apolinário, especial para o iG |

O pugilista Jefferson Gonçalo teve morte cerebral decretada, após passar por uma série de exames de encefalograma e não responder aos estímulos na tarde desta quarta-feira, segundo seu irmão e treinador Natal Gonçalo. De acordo com seu irmão, a família optou pela doação dos órgãos do atleta.

O lutador estava internado desde a cirurgia na madrugada de domingo no Hospital Samaritano de Sorocaba, após a luta com Ismael Bueno.

"Ainda vamos decidir tudo sobre o velório e enterro. Todos estamos muito tristes e ainda sem saber o que fazer. Tínhamos uma esperança muito grande dele sair dessa. Ele passou pela fase mais crítica, que foi a da cirurgia. Realmente a notícia nos surpreendeu. Foi uma perda não só para nossa família, mas também para o esporte. Ele tinha muitos amigos e alunos, que ele ajudou muito. Ele se vai, mas deixa muitas lembranças boas", relata emocionado o irmão Natal Gonçalo.

"Ontem mesmo eu estava feliz com o avanço do quadro clínico dele. Os médicos estavam inclusive retirando aos poucos o sedativos dele. Mesmo sabendo que a situação ainda era grave, existia a esperança que tudo fosse dar certo. Mas Deus sabe de todas as coisas."

Divulgação
Vida do boxeador sempre foi dedicada às lutas
O pugilista sofreu um trauma no cérebro durante sua última luta no Ginásio João Sebastião Ferraro, na cidade de Salto (interior de São Paulo), no sábado (2). Ao término do quarto round, Jefferson se mostrava cansado e chegou a ser orientado pelo irmão e técnico Natal Gonçalo a desistir do embate. Mas o atleta optou por continuar.

Jefferson, que lutava desde seus oito anos, sempre foi dedicado às artes marciais e de acordo com seu irmão essa seria a última luta dele. "Realmente são coisas da vida que não conseguimos entender. A gente tinha combinado que daqui por diante ele não lutaria mais e iria se dedicar apenas em produzir combates", lamenta o irmão.

Segundo o presidente da Liga Paulista de Boxe Profissional, Reinaldo Carrera, o boxe brasileiro está em luto. "O Jefferson era não só um atleta, mas um grande amigo. Estou realmente chocado com a morte dele. Não é o que desejamos para o esporte, nunca queremos que um atleta entre no ringue vivo, disposto, e saia morto", comenta o presidente. "Ele, além de ser um bom atleta, era uma pessoa de ótimo caráter. Era uma referência para todos. O Gonçalo se foi, mas deixa, além de boas lembranças, um legado".

De acordo com Natal Gonçalo, o médico responsável pela cirurgia lhe disse que a lesão no cérebro do lutador pode ter sido resultado de golpes sofridos pelo atleta nos últimos meses. Só o último exame de tomografia apontou o trauma.

    Leia tudo sobre: boxetraumamortecérebroluta

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG