Idosa deu sinais de vida quando funcionários de funerária preparavam seu corpo em caixão. Ela voltou a ser internada, mas morreu

Maria das Dores da Conceição, de 88 anos, que acordou dentro de um caixão em uma funerária de Ipatinga (MG), depois de ser dada como morta pela equipe do Hospital Municipal da cidade, morreu nesta sexta-feira após passar dois dias internada no mesmo hospital que havia cometido o engano. O enterro aconteceu neste sábado no cemitério Parque Senhora da Paz.

Maria das Dores havia sido internada na terça-feira, se queixando de dores. No fim da tarde de quarta-feira, a paciente foi considerada morta. O hospital expediu o atestado de óbito e encaminhou a mulher para a funerária. Ela foi colocada em um caixão e, quando os funcionários começariam a preparar o corpo, ela se mexeu e eles perceberam que ela ainda tinha sinais vitais.

Portadora de Alzheimer, hipertensão arterial e doença vascular obstrutiva, a idosa foi encaminhada novamente para o hospital, ainda no caixão. Ela voltou a ser internada, mas morreu nesta sexta-feira.

A Polícia Civil mineira abriu investigação para apurar como Maria das Dores recebeu atestado de óbito ainda viva.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.