Morre em Porto Alegre o deputado Adão Pretto

BRASÍLIA - O deputado Adão Pretto (PT-RS), de 63 anos, morreu nesta quinta-feira às 7h50, em Porto Alegre. O deputado estava internado em estado grave no Centro de Terapia Intensiva do Hospital Moinhos de Vento, onde se submeteu a uma cirurgia para retirada do pâncreas. O velório será realizado ainda nesta manhã na Assembléia Legislativa. O sepultamento ainda não foi marcado. A ex-senadora Emília Fernandes, também do PT, é a primeira suplente da vaga deixada pelo deputado.

Agência Câmara |

Na tarde de quarta-feira, o senador Paulo Paim, do PT do Rio Grande do Sul, pediu a palavra no plenário para anunciar a morte do deputado . Menos de quinze minutos depois, quando alguns parlamentares já haviam declarado pêsames, Paim voltou ao microfone para desculpar-se pelo engano: o deputado Adão Pretto continuava vivo.

A Secretaria-Geral da Mesa informou que não haverá votações na sessão extraordinária, em razão da morte de Pretto. Estavam na pauta três medidas provisórias, que deverão ser votadas na semana que vem.

Adão Pretto foi um dos fundadores do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) no Rio Grande do Sul. Filiou-se ao PDT em 1980. Ingressou no PT em 1985, ano em que se elegeu deputado estadual. Em 1991, tomou posse, pela primeira vez, como deputado federal, e manteve-se no cargo, reeleito seguidamente, para outras cinco legislaturas.

Na Câmara, o deputado opunha-se aos ruralistas na Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural. Sua principal bandeira política foi a reforma agrária. Chegou a escrever um livro sobre o tema ("Queremos Reforma Agrária", Editora Vozes, 1987).

Em 1986, como deputado estadual, presidiu a CPI da Violência no Campo na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul para investigar os conflitos entre grandes fazendeiros e trabalhadores rurais.

O último projeto de lei do deputado Adão Pretto foi apresentado em outubro do ano passado. A proposta acaba com o pagamento de indenização compensatória nos processos de desapropriação para fins de reforma agrária.

Leia mais sobre: Adão Pretto

    Leia tudo sobre: deputado estadualdeputadosmortemortes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG