Morre cabo do Bope baleado por assaltantes no Rio

RIO DE JANEIRO - O cabo do Batalhão de Operações Especiais (Bope) Ênio Roberto Santiago, de 33 anos, baleado na cabeça na manhã de quinta-feira ao tentar impedir que um casal tivesse seu carro roubado, na Tijuca, zona norte do Rio de Janeiro, morreu nesta tarde no Hospital Souza Aguiar.

Agência Estado |

Santiago estava trabalhando na segurança do tenente-coronel Alberto Pinheiro Neto, principal assessor do comandante-geral da PM, coronel Mário Sérgio Duarte.

Neto, que esteve à frente do Bope até quinta-feira, não estava no local do tiroteio.

Santiago foi ferido por volta das 7h30, quando estava na movimentada esquina da ruas São Francisco Xavier e Conde de Bonfim. Ele estava no carro descaracterizado da polícia, aguardando Pinheiro Neto, quando viu o momento em que dois homens anunciaram o assalto a um casal num Gol preto, parado no sinal fechado.

Santiago reagiu, mas comparsas dos assaltantes fizeram cinco disparos na direção do cabo. Um dos tiros atingiu-o na cabeça.

Os criminosos fugiram no carro do casal. Houve pânico e correria dos pedestres. Santiago passou por nove horas de cirurgia e, desde que chegou ao hospital, seu estado era considerado gravíssimo.  

Leia também

Leia mais sobre: violência no Rio de Janeiro

    Leia tudo sobre: bopepolícia militarrio de janeiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG