O ex-secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo e coronel reformado Erasmo Dias morreu na noite desta segunda-feira, aos 85 anos. Ele será velado nesta madrugada na Assembleia Legislativa e enterrado em Santos.

Braço direito do regime militar, ele comandou, em 1977, uma invasão à Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), onde estudantes contrários à ditadura tentavam recriar a União Nacional dos Estudantes (UNE).

Mais de mil alunos acabaram presos e levados para o o quartel da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) e para o Dops, a polícia política.

Nascido em Paraguaçu Paulista em 2 de junho de 1924, se formou em História pela Universidade de São Paulo (USP) e em Direito pela Universidade da Guanabara.

Foi um dos fundadores do partido político Arena e, após o regime militar, deputado federal e estadual. Elegeu-se ainda vereador pelo Partido Progressista (PP).

Erasmo Dias estava internado no Hospital do Câncer de São Paulo desde o sábado passado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.