Sob o Céu do Líbano - Brasil - iG" /

Morre a cineasta Randa Chahal Sabbag, de Sob o Céu do Líbano

PARIS ¿ A cineasta libanesa Randa Chahal Sabbag, que recebeu o Leão de Prata da Mostra de Veneza de 2003 pelo filme Sob o Céu do Líbano (Le cerf-volant), morreu hoje em Paris, onde residia, aos 54 anos, vítima de um câncer.

AFP |

Cineasta, que padecia de um câncer, retratava
seu país de origem no cinema / Getty Images

As guerras e as tragédias vividas no Líbano nutriram a obra de Chahal Sabbag. "Le cerf-volant", seu terceiro longa-metragem, conta a história de um amor impossível entre uma Julieta libanesa e seu Romeu, um guarda de fronteira druso sob as ordens de Israel.

O filme começa com um grupo de crianças brincando de pipa, próximo à cerca de arame farpado que separa o Líbano de Israel. Uma rajada de vento leva a pipa para além da cerca, e a jovem Lamia, de 16 anos, invade a faixa proibida, sob a mira de uma metralhadora. O disparo da arma assusta as crianças e Lamia retorna sem a pipa nas mãos.

Rodado na região de Bekaa Ocidental, entre a Síria e Israel, a equipe de filmagem de "Sob o Céu do Líbano" se instalou junto ao monte Hermon, região proibida durante anos e só devolvida ao Líbano recentemente. A produção queria reproduzir o "vale dos lamentos" exatamente como está, nas Colinas de Golã.

Durante as filmagens, aviões F16 israelitas sobrevoaram tão perto a área que os trabalhos precisavam ser interrompidos.

A consagração do filme com o Leão de Prata no Festival de Veneza em 2003 levou Sabbag a receber a insígnia da Ordem do Cedro, uma honra de seu país, por seu trabalho como cineasta.

Seu segundo longa-metragem de ficção, "Civilisées", que teve como cenário a Beirute de 1980 devastada pela guerra civil, também fez parte da seleção do Festival de Veneza, em 1999.

O filme, no qual o humor negro tocava a tragédia, foi censurado no Líbano e a equipe de filmagem chegou a receber ameaças de fundamentalistas muçulmanos.

"Queria fazer comédias, mas nasci numa região trágica. Assim, se a gente não diz as coisas dramáticas com um pouco de humor, não acontecerá nada", explicou Randa Chahal Sabbag durante a apresentação de "Cerf-volant" em Veneza.

Foi autora de inúmeros documentários: "Pas à Pas" (1978), também consagrado à guerra civil no Líbano, "Cheikh Imam" (1984), sobre um cantor egípcio, "Nos guerres imprudentes" (1995) e "Souha, survivre à l'enfer" (2000). Também assinou o telefilme "Les Infidèles" em 1997.

Nascida em 1953 em Trípoli, de uma família sunita, de pais marxistas, Randa Chahal Sabbag chegou à França nos anos 70, e estudou cinema na Escola nacional Louis Lumière.

Segundo Randa Sabbag, a realização de "Sob o Céu do Líbano" foi uma forma de aprender a não sentir mais ódio, já que durante toda sua vida ela sempre esteve cercada de conflitos, em constante estado de alerta e perigo.

Leia mais sobre: Randa Chahal Sabbag , cinema

    Leia tudo sobre: cinema

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG