BUENOS AIRES - A cantora argentina Mercedes Sosa, de 74 anos, morreu neste domingo em Buenos Aires. A cantora sofria de uma doença hepática complicada por problemas respiratórios.

AFP
Mercedes Sosa tinha 74 anos
Mercedes Sosa tinha 74 anos

"Nesta data, na cidade de Buenos Aires, Argentina, temos que informar que a senhora Mercedes Sosa, a maior artista da Música Popular Latino-americana, nos deixou", afirmou sua família em uma nota.

A morte de Mercedes Sosa mobilizou a Argentina neste domingo. Todos os canais de televisão passaram a transmitir shows dela.

"Mãe amada e amorosa, mulher da América ferida, a sua canção nos dá asas e faz com que a pátria toda, encolhida e desolada, ainda não morra, porque sempre cantarás nas nossas almas", afirmou a cantora Teresa Parodi, amiga de Sosa.

Outro artista e amigo de Mercedes Sosa, Juan Carlos Saravia, disse que a notícia era esperada, mas "quando chega é muito triste".

O corpo da artista é velado desde do meio-dia (horário de Buenos Aires), na sede do Congresso Nacional.

"La Negra"

Sosa é uma das intérpretes mais conhecidas da música regional latino-americana e a mais famosa artista argentina depois de Carlos Gardel e Astor Piazzolla.

Com seis décadas de carreira na qual circulou por todos os gêneros musicais, Mercedes Sosa repartiu o palco em todo mundo com músicos de diferentes estilos e gerações, sem perder nunca sua profunda ligação com o folclore, a música predominante do interior argentino.

Entre os compositores que interpretou estão Charly García, Alejandro Lerner, Atahualpa Yupanqui, León Gieco, Fito Páez e Silvio Rodríguez.

Sosa enfrentou também censura e perseguição na década de 1970, durante a ditadura militar argentina, quando os seus discos, carregados de conteúdo social, transformaram-se em referência contra o regime.

Reuters
Mercedes Sosa durante apresentação

Mercedes Sosa durante apresentação

Internação

Ela foi internada em 18 de setembro e estava em coma desde quinta-feira, respirando com a ajuda de aparelhos. O estado de saúde de Sosa era acompanhado por numerosos artistas, incluindo alguns que a visitaram no hospital, e por fãs, que encheram de mensagens o site oficial da cantora na internet.

"São instantes de oração. Isto tem a ver com uma situação de vida em que ela viveu plenamente seus 74 anos, fez praticamente tudo o que quis, viveu uma vida muito plena", disse na quinta-feira a jornalistas Fabián Matus, o único filho da cantora. "Mercedes sempre foi um símbolo de liberdade", acrescentou.

Sosa, apelidada carinhosamente de "La Negra", por causa da cor de sua pele, ficou fora de cena por algum tempo anos atrás por um problema de saúde, mas retornou em 2005.

Neste ano, ela lançou um disco em dois volumes denominado "Cantora", em que canta em parceria com artistas como Joan Manuel Serrat, Caetano Veloso e Shakira, razão pela qual está indicada a três prêmios Grammy Latino.

Conheça um pouco mais sobre a história de Mercedes Sosa:

Leia mais sobre Mercedes Sosa


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.