Moradores protestam após mortes em escritório do PAC

RIO DE JANEIRO - Novas confusões ocorreram na tarde desta quarta-feira durante a perícia que a Polícia Civil realizou no escritório da construtora OAS, no morro do Pavãozinho, em Ipanema, zona sul do Rio, onde três traficantes foram mortos e três ficaram feridos. Trabalhadores do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) e moradores protestaram contra a falta de informações sobre os mortos e discutiram com policiais.

Agência Estado |

Uma adolescente com uniforme da Fundação para a Infância e da Adolescência (FIA) esmurrou uma viatura e foi repreendida por policiais e um homem foi detido por desacato. Em um dos acessos ao morro do Pavãozinho, uma viatura da Coordenadoria de Recursos Especiais e uma viatura da Delegacia Especial de Apoio ao Turista tiveram os vidros quebrados por moradores. Policiais civis efetuaram disparos para o alto para conter os protestos.

Três supostos criminosos foram mortos e três ficaram feridos no final da manhã desta quinta, durante um cerco da polícia a homens que invadiram armados o escritório das obras do PAC nos morros Pavão/Pavãozinho. Cerca de 30 funcionários ficaram encurralados durante o tiroteio e, muito abalados, foram retirados do local no início da tarde.

    Leia tudo sobre: violência no rio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG