Monitoras deixam cargo por garoto ficar preso em creche

A Secretaria de Educação de Vinhedo (SP) determinou hoje que duas monitoras da creche municipal Marquês de Rabicó, onde uma criança de 3 anos ficou trancada após o horário de saída, ontem, sejam transferidas para funções burocráticas até o fim da sindicância aberta para apurar os fatos. A mãe do garoto, Liliane Aparecida Lopes dos Santos, registrou Boletim de Ocorrência na Delegacia de Vinhedo.

Agência Estado |

Ao chegar à creche, ela teria recebido de uma funcionária a informação de que o filho havia sido levado por um parente. Após buscar informações sobre a criança com a família, conhecidos e vizinhos, Liliane voltou ao local e ouviu o choro de uma criança dentro do prédio. Como a creche já estava fechada, ela pulou o muro e quebrou a janela para retirar o filho da sala. Os vizinhos acionaram a Guarda Municipal.

De acordo com o secretário de Educação, Jaime Cruz, a creche tem uma rotina a ser obedecida: as monitoras devem ficar com as crianças até os pais ou responsáveis chegarem e fazerem a vistoria das salas. "Caso os pais demorem muito, uma hora, mais de uma hora, a gente aciona o conselho tutelar", afirmou Cruz. "Mas não foi esse o caso. A mãe chegou apenas dez minutos depois do horário de fechamento. Vamos apurar os fatos", disse.

O prazo para o fim da sindicância feita pela Secretaria Municipal de Educação é de 15 dias. Cruz disse que a família da criança informou a unidade escolar que o menino deverá retornar à creche na segunda-feira. "Se a família quiser e permitir, vamos enviar uma psicóloga da rede municipal para conversar com a criança."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG