Arquiteto foi encontrado morto dentro de seu carro com um profundo corte no pescoço, no último sábado, no bairro Benedito Bentes

O modelo Frederico Safadi entregou-se na tarde desta quinta-feira à Polícia Civil de Alagoas e confessou, em depoimento, participação no assassinato do arquiteto Flavius Durval Lessa Braga, ocorrido no dia 4. Ainda no depoimento, Safadi disse que a motivação do crime foi passional e que contou com a participação de um menor de idade, que já foi identificado pela polícia.

O arquiteto foi encontrado morto dentro de seu carro com um profundo corte no pescoço, no último sábado, no bairro Benedito Bentes, na periferia de Maceió. Ele foi estrangulado e ferido com uma lata de refrigerante cortada.

Horas depois do crime, Safadi foi ouvido na Central de Polícia de Maceió como suspeito, por ter sido a última pessoa a estar com Braga antes de ele ser encontrado morto. No depoimento, Safadi afirmou que esteve com o arquiteto na noite de sexta-feira. Disse também que consumiu substâncias entorpecentes e recebeu R$ 180 da vítima.

A Polícia Civil divulgou que o corpo de Braga apresentava sinais de quem havia travado luta corporal, e assim como o suspeito, que tinha roupas sujas de sangue. Na tarde de sábado, não havia médico no Instituto Médico Legal (IML) Estácio de Lima e, apesar de requisitado, o exame de corpo delito também não foi realizado no Instituto de Criminalística (IC), órgão ligado à Secretaria Estadual de Defesa Social. Por causa da ausência de provas técnicas, Safadi foi liberado .

A delegada de plantão na Central de Polícia, Maria Angelita, disse que tanto o IML como o IC alegaram somente poder atender os pedidos dela por ofício e em dias úteis, ficando desta forma a autoridade policial plantonista impossibilitada de autuar o suspeito em flagrante. Por isso, a delegada disse que não teve outra alternativa senão liberar o modelo.

A prisão temporária do modelo foi solicitada no domingo, e desde então, ele estava foragido. A apresentação, nesta quinta-feira, ocorreu após ser dada a garantia de que ele teria a sua integridade física e moral preservadas.

Safadi foi encaminhado à Casa de Custódia da Capital, onde vai ficar em uma cela separada por determinação judicial. O caso agora está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios da Capital.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.