Moda masculina é livre, leve e solta nas passarelas de Nova York

Por Ellen Wulfhorst NOVA YORK (Reuters) - A julgar pelas tendências mais recentes da moda masculina expostas esta semana em Nova York, os homens devem ter muito tempo livre, frequentar festas chiques e trabalhar em ocupações artísticas nas quais podem vestir o que bem entenderem.

Reuters |

Camisas folgadas, camisetas amassadas, blusões do tipo universitário e sapatos casuais deram o tom no Mens Runway (passarela masculina), em Nova York.

O evento de dois dias visa criar um espaço próprio para a moda masculina, em lugar de deixá-la se perder em meio ao frenesi de desfiles femininos que dominam a Semana de Moda de primavera e outono em Nova York.

De acordo com experts em moda, os looks mostrados no Mens Runway eram para homens que desejam um visual e estilo de vida casual e sofisticado, mas que não necessariamente têm isso.

Para os especialistas, os looks guardam pouca relação com o mundo real, carregado de preços em alta e insegurança no emprego.

'É o jeito como os homens querem ser, não tanto como precisam ser', disse Candace Corlett, presidente da WSL Strategic Retail. 'Com as mulheres, é a mesma coisa. Na moda, elas querem ser muito mais glamourosas do que são de fato ou que precisam ser.'

'A maioria dos homens está usando terno ou paletó para o trabalho e fica em casa nos fins de semana. Mas, pelo menos por um instante, os homens querem usar roupa casual de grife.'

Brincando com esse desejo, o estilista Andrew Holden, da Conference of Birds, reuniu moda casual, de trabalho e formal em camadas descontraídas.

Ele juntou calças em estilo pijama com um casaco grande e gravata borboleta solta. Misturou camisas de smoking com shorts e paletós de terno.

A grife nova-iorquina Nicholas K apostou em bermudas e jaquetas de brim, ponchos e cachecóis amarrados com estilo.

'A SEXTA-FEIRA CASUAL É COISA DO PASSADO'

A coleção Charles G Bailey optou por suéteres de gola em V combinados com bermudas, xadrezes discretos e camisas de boliche com golas e punhos contrastantes.

Não havia nenhum terno à vista, tampouco meias.

Para Robert Burke, da consultoria de luxo Robert Burke Associates, embora os looks fossem muito casuais, eram realistas e vendáveis, o tipo de coisa que pode ser usado na vida real.

'Os tempos difíceis favorecem as roupas mais realistas e vendáveis', disse Burke. 'Houve muita coisa aqui que os compradores poderão colocar em suas lojas.'

Mas David Wolfe, diretor criativo da consultoria de varejo Doneger Group, não se convenceu e disse que acha que alguns estilistas se equivocaram.

'Para a moda ser bem-sucedida, ela precisa ser um reflexo da sociedade que a veste', disse ele. 'As coisas que estão vendendo bem hoje não são casuais ou de vanguarda.'

Para ele, o que está vendendo bem são roupas masculinas mais elegantes, de alfaiataria, ao estilo do popular seriado 'Mad Men', sobre o mundo dos publicitários.

'A sexta-feira casual já ficou para trás', disse Wolfe.

O Mens Runway começou em janeiro com quatro desfiles. Nesta temporada primavera 2009, foram seis desfiles, na segunda e terça-feira. As outras grifes que desfilaram suas criações foram a Orthodox, a canadense Obakki e a Andrew Buckler.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG