Moda dandy de Chanel e invenções de Castelbajac

Punhos e golas amplas vestem uma espécie de elegante dandy inglês. Esta é uma das propostas da Chanel para o próximo inverno, na coleção apresentada nesta terça-feira nas passarelas de Paris.

AFP |

Karl Lagerfeld, estilista da maison, propõe silhuetas em branco e preto - uma das marcas da grife -, mas também brinca com o verde-jade e o rosa pálido, uma das grandes tendências atuais.

Os vestidos pretos vêm não tão básicos assim, com golas brancas irregulares e punhos brancos plissados ou adornados com a famosa camélia branca Chanel, lembrando os rufos e plissados da realeza.

"A coleção se chama Chanel Belle Brummel", numa referência a Beau Brummel, o dandy inglês que no século XVIII "inventou os trajes obscuros para o homem adornados com gravatas, echarpes, golas e punhos", explica o "Kaiser" da moda, Karl Lagerfeld.

O verde-jade aparece em pequenos toques de cor em um blazer do tailler de tweed, um chapéu ou uma pantalona fluida. O estilista propõe também a mistura do rosa pálido com o preto e o branco em casaquetos, enormes laços de gravata e vestidos curtos.

Deixando a elegância clássica de lado, o sempre inovador Jean-Charles de Castelbajac transforma seus próprios clássicos com humor e espírito inventivo. Um trench coat de leopardo feito de plástico, imagens de Andy Warhol, Clint Eastwood e Jimi Hendrix em vestidos e camisas, uma gigante nota de dólar faz a frente de um vestido, sapos de pelúcia se transformam em top. Tudo é possível na explosão de cores e referências de Castelbajac.

"Trata-se, de certa forma, de uma coleção de aniversário, mostrei tudo o que havia em meu trabalho", afirma Jean-Charles de Castelbajac, explicando que quis "rever" suas criações "não com a idéia de fazer peças de vestir como arte, e sim de criar uma verdadeira roupa".

No final do desfiles, as modelos jogaram para cima falsas notas de dólar com a imagem de Barack Obama. "Porque estamos em crise" e o presidente Obama é "o rei da crise", disse o estilista.

Esta crise parece não ter chegado à maison Valentino, cujos estilistas, Maria Grazia Chiuri e Pier Paolo Piccioli, propõem uma coleção ideal para noites chiques: vestidos em azul, verde, amarelo e, claro, estampas animais.

Para combater o frio, os vestidos são cobertos por capas de peles, franjas e boleros. A manga-kimono aparece enfeitada com pedrarias e peles, enquanto os casacos de alfaiataria podem ser usados também como trench coat.

"Gostamos do que é suntuoso", resume Maria Grazia Chiuri.

Stefano Pilati para Yves Saint Laurent apresentou uma coleção na qual impera o couro e a flanela, trazendo uma elegância clássica com um toque de ousadia, como no body preto de couro quase sado-masô ou no quase minimalista macacão cinza.

Discretas saias plissadas combinadas com camisas brancas - um clássico, afinal -, mas com ousados decotes e blusas brancas de mangas merengue suavizam o rigor do preto e cinza do inverno Saint Laurent.

Parece que a próxima estação será mais sóbria nas cores, mas totalmente criativa nas modelagens. É esperar para ver.

sd.mc/cr/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG