MMX retoma mina em MS mas mantém siderurgia parada

Por Denise Luna RIO DE JANEIRO (Reuters) - A MMX, do empresário Eike Batista, anunciou nesta segunda-feira que vai retomar na terça-feira as operações da mina de ferro localizada em Corumbá, Mato Grosso do Sul, parada desde dezembro de 2008 devido à crise financeira global.

Reuters |

Ao mesmo tempo a empresa vai reestruturar suas atividades na região, dispensando 326 empregados, sendo 249 da unidade de ferro-gusa, que continuará desativada.

"A retomada da sua produção permanece condicionada à recuperação da conjuntura do setor siderúrgico, no Brasil e no mundo", explicou a MMX em um comunicado, no qual não detalha porque retomou a produção de minério.

No segmento de mineração foram dispensados 22 empregados e na unidade florestal, 55, informou a MMX em nota.

Segundo a assessoria da MMX, retornam ao trabalho nesta terça-feira 191 funcionários.

O Sistema MMX Corumbá, que iniciou suas operações em dezembro de 2005, foi planejado para produzir 6,3 milhões de toneladas por ano de minério de ferro e 400 mil toneladas anuais de ferro-gusa.

Em 2008, a mina de Corumbá produziu 1,6 milhão de toneladas de minério de ferro e a de ferro-gusa, 223 mil toneladas.

A empresa informou ainda que mantém paralisada as atividades de plantio da unidade florestal em Mato Grosso do Sul, que possui área plantada de 6 mil hectares.

"A falta de perspectivas de melhora a curto e a médio prazos no cenário econômico mundial no setor de siderurgia e, por consequência, no de mineração, tornou inevitável uma reestruturação das atividades da companhia no Estado", justificou a empresa.

Segundo a companhia, vão retornar ao trabalho da mina 130 empregados e mais 25 na unidade florestal. Mais 27 pessoas também retomam o trabalho na parte administrativa da MMX Corumbá.

A empresa destacou que durante a paralisação da mina manteve o pagamento de salários e concedeu cursos de requalificação profissional. Para os empregados desligados, será concedido benefício de 1,1 mil reais, além de mantido por três meses o vale alimentação, planos de saúde e odontológico.

As ações da MMX seguiam o bom humor do mercado e subiam quase 4 por cento às 13h15, enquanto o Ibovepa operava em alta de cerca de 5 por cento.

(Por Denise Luna)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG