O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, e o ministro Eros Grau foram vítimas da máfia das passagens aéreas da Câmara. É o que constatou uma comissão de sindicância da casa legislativa nesta sexta-feira (24). Conforme antecipou o Congresso em Foco, Gilmar Mendes e Eros Grau aparecem como beneficiários da cota de passagens de dois deputados. Os dois ministros, no entanto, apresentaram documentos para comprovar que não tiveram viagens pagas pela Câmara.

De acordo com a sindicância da Câmara, agências de viagem tinham acesso direto às passagens de parlamentares. O esquema funciona da seguinte maneira: um cliente pagava normalmente por uma passagem aérea em uma agência de viagem, que ficava com o dinheiro e não emitia o bilhete.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.