Postulantes ou não a algum cargo eletivo em 2010, vários dos principais ministros do presidente Luiz Inácio Lula da Silva vão recarregar - ou já estão recarregando - suas baterias antes do exaustivo ano eleitoral. Entre os que já entraram em férias de fim de ano está a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, provável candidata petista à sucessão de Lula.

Ela começou o descanso ontem e só deve voltar ao trabalho no dia 5 de janeiro.

Além de Dilma, pelo menos outros cinco importantes auxiliares do presidente estão de férias. O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, por exemplo, está no Rio de Janeiro desde ontem e só retorna a Brasília no dia 4 de janeiro. Os funcionários da Fazenda só voltarão a ver o chefe - o ministro Guido Mantega - no dia 9 do próximo mês. Mantega iniciou seu período de folga ontem, assim como o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, que passa a virada de ano fora do País e retorna a Brasília no dia 6 de janeiro.

Outro importante conselheiro de Lula, o ministro Franklin Martins, da Secretaria de Comunicação Social, iniciou férias no dia 26 de dezembro e descansa até 10 de janeiro. Já o ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, se afastou na véspera de Natal e só volta ao trabalho no dia 3 de janeiro.

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, não chegou a tirar um período contínuo de férias, e sim alguns dias: descansou nos dias 21, 22 e 24 deste mês e volta a fazê-lo amanhã e no dia 31.

Férias adiadas

Fora de Brasília, mas oficialmente trabalhando: essa é a situação do ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento. Segundo sua assessoria de imprensa, Nascimento está em Manaus - sua base eleitoral -, permanece lá até o início de janeiro, mas trabalhando no escritório local do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

Outros ministros têm suas folgas previstas para os primeiros dias de janeiro, como o do Desenvolvimento, Miguel Jorge (de 4 a 18 de janeiro); da Justiça, Tarso Genro (de 4 a 22 de janeiro); da Defesa, Nelson Jobim (de 4 a 8); do Meio Ambiente, Carlos Minc (de 4 a 11); da Educação, Fernando Haddad (de 16 a 24 de janeiro); do Planejamento, Paulo Bernardo (de 4 a 12) e das Comunicações, Hélio Costa (de 4 a 20).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.