Ministro quer apoio do PMDB a Aécio e vê partido separado do PT

Por Marcelo Portela BELO HORIZONTE (Reuters) - Apesar de integrar o ministério do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o titular das Comunicações, Hélio Costa, afirmou nesta quinta-feira que dificilmente o partido apoiará um candidato petista à Presidência da República em 2010.

Reuters |

Após reunião com o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), Costa foi categórico ao dizer que apóia a candidatura do tucano à sucessão de seu atual chefe.

"Entendo que Minas tendo a opção de ter uma candidatura viável, acho patriótico apoiar uma candidatura mineira. Eu pessoalmente estou trabalhando no sentido de que o PMDB tenha em aberto a opção de estar com o governador Aécio Neves", afirmou, após a reunião com o tucano.

Segundo Hélio Costa, há forte ressentimento entre os peemedebistas em relação ao PT, principalmente em Minas, após a aliança do prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel (PT), com Aécio em torno da candidatura do prefeito eleito Márcio Lacerda (PSB), que disputou o segundo turno com o deputado federal Leonardo Quintão (PMDB).

"O estrago causado com uma proposta que poderia ter tido o apoio do PMDB e não teve, até pelo egoísmo político de alguns - evidente que não do governador - colocou em risco essa coligação", ressaltou, referindo-se à aliança entre PT e PMDB.

O ministro afirmou que Aécio teria apoio certo da bancada mineira do PMDB na Câmara e no Senado.

Costa disse que apesar do maior ressentimento do PMDB em relação aos PT ser em Minas, acredita que a legenda em São Paulo também pode abandonar o presidente Lula em 2010.

"São Paulo está mais próximo do governador José Serra. Mas veio fato novo. É a proposta de prévias no PSDB. Com a proposta de prévias, é diferente o quadro. O governador Aécio passa novamente a ter chance importante dentro do PSDB."

O ministro não respondeu diretamente se a intenção do PT de obter a presidência do Senado ano que vem, apesar de o PMDB ter maioria na Casa, teria enfraquecido a relação.

"Isso aí (maioria no Senado) só muda após o resultado das próximas eleições. Quem disse que o PMDB é majoritário foi o povo. Se o PT quiser, combina com o povo da próxima vez", alfinetou.

PRÉ-CANDIDATURA

Apesar de durante reunião da cúpula tucana em Brasília, Aécio Neves ter se colocado à disposição do PSDB para uma possível candidatura em 2010, o governador mineiro negou nesta quinta-feira que esteja em disputa aberta com José Serra pela indicação tucana.

"É muito longe para isso. Eu acho que fica uma coisa um pouco fora de sentido você dizer que é pré-candidato sem ter uma proposta, sem que essa pré-candidatura represente mais do que uma movimentação pessoal. Eu tenho disposição de ajudar o PSDB a construir um projeto que aponte para o futuro desse país", afirmou.

O governador mineiro adiantou, porém, que pretende viajar pelo país a partir de 2009, atendendo a convites dos Estados.

"Pretendo, a partir do início do ano, atender a alguns desses convites. Discutir esses problemas. Eu acho que isso só acrescenta ao PSDB", comentou.

O tour de Aécio começaria pelo Nordeste, região em que o presidente Lula é mais forte. "Não é agenda de pré-candidato. É uma agenda de um governador de Estado que tem preocupações com o Brasil e que acredita que o seu partido tem inúmeras possibilidades de vencer as eleições se apresentar uma proposta", afirmou.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG