Ministro Patrus apela a empresários para que mantenham empregos

BRASÍLIA - O ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, afirmou nesta quinta-feira (4) que a crise financeira internacional ¿preocupa¿, mas que não é justo ¿penalizar¿ países emergentes como o Brasil. Ele voltou a negar que os investimentos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) sejam afetados pela instabilidade das bolsas e apelou à responsabilidade social dos empresários para que mantenham os empregos.

Agência Brasil |

O presidente Lula já disse que não haverá nenhum retrocesso na área social. Queremos continuar avançando. A crise foi gerada no coração do sistema capitalista, por meio de ações especulativas absurdas. Temos que impedir que nossos pequenos e médios empreendedores sejam prejudicados, disse, ao participar de entrevista a emissoras de rádio durante o programa Bom dia, Ministro.

Para Patrus, o país vive uma situação boa, mas as empresas devem pensar em responsabilidade social, mantendo empregos e evitando demissões em massa. Será bom para elas também, porque garante o mercado interno, avaliou. De acordo com o ministro, caso a crise seja ampliada, vai penalizar a todos."É preciso humanizar o capitalismo, afirmou Patrus.

Continuamos executando o orçamento e a previsão para o próximo ano é de um orçamento de R$ 33 bilhões, o que mostra que estamos ampliando. Claro que a crise pode trazer conseqüências, mas a orientação clara do presidente é que mantenhamos as ações sociais e o PAC. Pessimismo gera pessimismo. Temos que enfrentar essa crise com firmeza e coragem.

    Leia tudo sobre: pac

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG