Ministro Eros Grau diz ser contra sessões do Supremo na televisão

BRASÍLIA - O ministro Eros Grau, do Supremo Tribunal Federal, disse nesta terça-feira, durante palestra no Rio, que as sessões plenárias da corte não deveriam ser transmitidas ao vivo pela TV Justiça. A ideia de suspender as transmissões foi cogitada no mês passado, depois da transmissão de uma discussão entre os ministros Gilmar Mendes e Joaquim Barbosa para todo o País.

Agência Estado |

Se dependesse de mim, seguramente não haveria transmissão televisiva, mas felizmente não depende, porque praticamos a democracia, afirmou Grau, num almoço com líderes empresariais da Câmara de Comércio França-Brasil.

Grau tocou levemente no tema em sua curta palestra sobre a atualização da Constituição ao classificar a tomada de decisão de qualquer magistrado como um momento de grande intimidade, que acaba sendo devassado apenas para os ministros do STF.

No entanto, foi obrigado a detalhar sua opinião diante da pergunta de uma participante, que quis saber se ele via exposição exagerada dos ministros nas transmissões das votações, misturando diante dos cidadãos as relações institucionais e pessoais dos integrantes da corte.

O ministro respondeu que é contra as transmissões, mas ressaltou que expressava apenas uma opinião, já que reconhece que esse tipo de recurso tem sido um instrumento cada vez mais adotado para dar transparência a instituições públicas. O que é muito importante é que nenhum de nós, como indivíduo, significa grande coisa. Nós não significamos nada. O que importa é a instituição, afirmou Grau, numa referência indireta à repercussão dos desentendimentos entre Mendes e Barbosa. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Leia mais sobre: Supremo Tribunal Federal

    Leia tudo sobre: supremo tribunal federal

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG