Ministro dos Transportes aproxima PR da pré-candidata Dilma

Por Fernando Exman BRASÍLIA (Reuters) - O ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, assumiu a articulação política do Partido da República (PR) e colocou a legenda mais próxima de um acordo com o PT para as eleições de 2010.

Reuters |

Líderes do partido alertaram nesta quarta-feira que falta ainda definir a participação do PR em um eventual futuro governo da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), além da aliança entre as duas siglas nas eleições para governador nos Estados.

A cúpula do PR, partido da base atual do governo, reuniu-se na noite de terça-feira com a ministra, a preferida do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a sua sucessão, exatamente para discutir a posição da sigla na disputa de 2010. Nascimento, presidente de honra da legenda, estava presente ao encontro.

"O ministro Alfredo Nascimento colocou claro de o partido caminhar junto com o PT, mas que ainda falta conversa", afirmou à Reuters o deputado Luciano Castro (PR-RR), participante do evento.

"O PR não quer só participar de uma eleição. O PR quer um programa de governo e ajudar a governar", acrescentou.

Também presente no encontro, o líder do partido na Câmara, deputado Sandro Mabel (GO), ressaltou a importância de PT e PR selarem acordos nos Estados a fim de viabilizar uma aliança em âmbito nacional.

"Não tem como nós fecharmos qualquer assunto sem fechar as posições nos Estados. Precisamos saber antes como o partido vai ficar como um todo", comentou.

Mabel afirmou que não há pré-acordo, "mas mostramos uma simpatia muito grande (pela pré-candidatura da ministra)".

Procurado, o ministro dos Transportes não estava imediatamente disponível para comentar o assunto. O PR tem 46 deputados e três senadores e está representado no ministério de Lula apenas na pasta dos Transportes.

Depois de ser liberada pelos médicos após um tratamento contra um câncer, em setembro, Dilma passou à frente das articulações políticas para sua candidatura, acelerando as negociações com os partidos que integram a base governista.

Além do PR, a ministra já teve reuniões com representantes do PMBD, PCdoB, PRB e PDT.

PMDB e PT devem anunciar na semana que vem um pré-acordo segundo o qual os peemedebistas indicarão o candidato a vice-presidente da chapa da ministra. Os petistas dão também como provável uma aliança com o PCdoB, um aliado histórico do partido, e com o PRB, sigla do vice-presidente da República, José Alencar.

Acreditam também num entendimento com o PDT, apesar de uma ala dos pedetistas flertar com a pré-candidatura à Presidência do deputado Ciro Gomes (PSB).

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG