Ministro diz que atrasos nas entregas de encomendas e problemas na realização de concurso público contribuíram para a saída

O ministro das Comunicações, José Artur Filardi, disse nesta quarta-feira que a demissão do presidente dos Correios, Carlos Henrique Custódio , foi motivada por uma questão administrativa. “Foi uma necessidade de oxigenar os Correios, a decisão já estava para ser tomada, só estávamos estudando os nomes”, disse.

Ele afirmou que os atrasos nas entregas de encomendas e problemas na realização de concurso público para a estatal contribuíram para a saída de Custódio. “O governo entendeu que era hora de dar uma nova administração, dar possibilidade de os Correios continuarem de uma forma mais normalizada”, avaliou.

Filardi confirmou que o novo presidente da empresa será David José de Mattos, atual secretário-geral da Novacap, companhia urbanizadora de Brasília. Ele é engenheiro eletricista pós graduado em administração, operação de sistemas elétricos, gestão de recursos hídricos e economia da energia. Também foi funcionário da Eletronorte e de diversas secretarias do Distrito Federal.

O diretor de Recursos Humanos dos Correios, Pedro Magalhães, será substituído por Nelson Oliveira de Freitas. A empresa também terá um novo diretor de Operações, Eduardo Artur Rodrigues Silva, que vai substituir Marco Antônio Marques de Oliveira, demitido em junho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.