BRASÍLIA - O deputado federal Paulo Renato (PSDB-SP), ministro da Educação do governo Fernando Henrique Cardoso, divulgou nesta quinta-feira a documentação relativa a seus gastos no ministério para rebater suspeitas de que teria feito gastos irregulares com alimentação. O tucano desafiou o presidente Lula e seus ministros a abrirem suas contas e disse que recorrerá à Justiça se o governo fizer auditoria em seus documentos sem fazer o mesmo com os atuais ocupantes do poder.

O deputado Paulo Renato foi o segundo ministro da era FHC a abrir suas contas, a exemplo do que fez há três semanas o deputado Raul Jungmann (PPS-PE), ex-ministro do Desenvolvimento Agrário. Ele fez questão de ressaltar que na sua época não usou cartões corporativos, somente as contas tipo B, e mesmo assim efetuou gastos franciscanos.

O único dinheiro que gastei era de hospedagem e alimentação fora de Brasília. Meus gastos totais na média foram de R$ 20 mil por ano. Para se ter uma idéia, aqui na Câmara a verba de representação é de R$ 15 mil por mês, destacou Paulo Renato, acrescentando que resolveu pedir os dados de sua gestão ao governo quando deputados amigos disseram que o problema de minhas contas eram gastos em supermercados.

Sobre esse fato, o ex-ministro alegou que do início de 1997 a julho de 1998, passou a usar dinheiro do ministério para fazer compras em estabelecimentos de alimentícios para realizar almoços a trabalho, embasado em parecer do controle interno do MEC. Mas suspendeu a prática devido a outro parecer do governo federal.

Estou convencido que vazaram [tais informações] a partir do governo intencionalmente para nos intimidar [a oposição], o que é inaceitável como método político, reclamou o deputado. Ele afirmou que se a Controladoria-Geral da União (CGU) resolver realizar uma auditoria sobre seus documentos, ele só aceitará se o mesmo for feito para todos os atuais ministros. Do contrário, irá recorrer com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF).

Vou exigir que ela [CGU] abra [as contas] de todos os atuais ministros, disse. Paulo Renato fez uma provocação ao governo: Desafio o presidente Lula e todos os ministros a fazer o mesmo que fiz. Acho que todas as autoridades que têm sido mencionadas com suspeitas de mau uso de recursos públicos deveriam fazer o mesmo.

Leia também:

    Leia mais sobre: cartões corporativos

      Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.