Ministro da Educação aceita proposta que torna Enem obrigatório na rede pública

BRASÍLIA - O ministro da Educação, Fernando Haddad, acatou nesta quinta-feira a proposta que torna o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) obrigatório na rede pública em 2010. Hoje a participação no Enem é voluntária.

Redação com Agência Brasil |

Durante reunião no Ministério da Educação (MEC) para conhecer os conteúdos do novo Enem, o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) anunciou que quer universalizar a prova.

A ideia é que com a universalização, o Enem passe a certificar a etapa. Ou seja, para obter o diploma do ensino médio, o aluno precisará participar da prova e alcançar uma nota mínima, que será determinada por cada secretaria de estado. Em 2008, 4 milhões de alunos se inscreveram no exame.

Segundo informou o MEC, o ministro Fernando Haddad acatou a proposta e pediu um estudo de logística para garantir que os estudantes tenham acesso aos locais de prova em todo território nacional.

Segundo Haddad, a nova prova será mais focada na compreensão de problemas do que na memorização de datas ou fórmulas. De acordo com ele, os conteúdos cobrados na edição de 2009 permanecerão os mesmos ministrados hoje pelo ensino médio.

A matriz desses conteúdos foi apresentada na manhã desta quinta-feira (14) aos secretários de Educação, que aprovaram a proposta. O documento será divulgado ainda nesta quinta no site do MEC.

Leia mais sobre: Enem

    Leia tudo sobre: enem

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG