Ministérios se desentendem sobre meta ambiental

A reunião prevista para amanhã entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os ministros Dilma Rousseff (Casa Civil), Carlos Minc (Meio Ambiente), Sérgio Rezende (Ciência e Tecnologia) e Celso Amorim (Relações Exteriores) para tratar da disposição brasileira em reduzir emissões de gases de efeito estufa deverá ser marcada pelo impasse entre as partes envolvidas. Enquanto o ministro Carlos Minc defende a redução de 40% das emissões até 2020, os representantes das outras pastas têm resistência à proposta e a consideram inadequada para o momento.

Agência Estado |

O único consenso existente em torno do que será apresentado à Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-15), que ocorrerá no próximo mês, em Copenhague (Dinamarca), é em relação à diminuição em 80% do desmatamento da Amazônia até 2020.

Para o Meio Ambiente, a meta de reduzir em 40% as emissões em 11 anos é factível. Para os outros ministros, a situação é vista como mais delicada por conta da postura da China e da Índia, que abertamente se declaram contrárias a uma meta para a redução. Entretanto, os dois países são geralmente aliados do Brasil em assuntos ambientais e o Ministério das Relações Exteriores teme constranger os parceiros ou até mesmo ficar isolado na COP-15.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG