O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, assinou hoje convênios com o governo de Alagoas para o combate à mortalidade infantil em 14 municípios do Estado. Os investimentos para a redução da mortalidade infantil em Alagoas, que continua registrando o maior índice do País, são de R$ 8,6 milhões.

Segundo o ministro, a maior parte dos recursos terá de ser investida na atenção básica, por meio do Programa Saúde da Família (PSF) e no atendimento direto às parturientes. Ele participou hoje, em Maceió, da inauguração da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal do Hospital do Açúcar, no bairro do Farol.

Durante a solenidade, realizada no Palácio República dos Palmares, o governador de Alagoas, Teotônio Vilela Filho (PSDB), disse que "os indicadores de mortalidade infantil em Alagoas são vergonhosos" e prometeu dobrar a meta estipulada pelo Ministério da Saúde, de reduzir em até 5% o atual índice. "Estamos fazendo um verdadeiro mutirão, com a ajuda do governo federal e dos municípios, para reduzir esse quadro. Por isso, traçamos a meta de redução da mortalidade infantil em 10%." Ele anunciou investimentos em torno de R$ 100 milhões para melhorar nos próximos anos a situação da saúde de Alagoas. Os recursos serão utilizados, segundo ele, em todos os municípios na atenção básica, no PSF e na recuperação das unidades de saúde.

Segundo dados do Ministério da Saúde, em 2000, a taxa da mortalidade infantil em Alagoas era de 31,38 por cada grupo de mil nascidos vivos; em 2005, o número caiu para 23,63; atualmente, está em 18,67, número ainda considerado alto. A passagem de Temporão por Alagoas encerra a primeira etapa de um roteiro de visitas aos Estados do Nordeste e da Amazônia Legal para firmar um pacto com os governantes e reforçar o combate à mortalidade infantil, que está cima da média nacional nas duas regiões. O pacto prevê ações em 250 municípios e um investimento global de R$ 110 milhões, sem contar com as contrapartidas dos governos locais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.