Ministério Público quer novo banco de olhos no Rio

RIO DE JANEIRO - O Ministério Público Federal propôs uma ação civil pública contra a União e o Estado do Rio de Janeiro para que eles instalem em 90 dias um banco de olhos em um hospital público. O único que existia no estado, no Hospital Geral de Bonsucesso, foi fechado em 8 de junho.

Redação |

Desde o fim da captação de tecidos oculares, a fila de transplantes de córneas ficou paralisada, prejudicando cidadãos que precisam recuperar a visão. Hoje, as cirurgias de transplante apenas acontecem em hospitais privados para quem adquire córneas no exterior.

O MPF quer que a Justiça determine a cobrança de uma multa diária de até 50 mil reais aos réus, se eles não instalarem o banco em três meses, e a implantação de outras unidades, se a nova for insuficiente para atender à demanda.

Na ação, são citados dois hospitais federais com condições de abrigar um banco de olhos: o Hospital Geral de Bonsucesso (HGB), onde ficava a unidade recém-fechada, que era privada, e o Hospital dos Servidores do Estado (HSE), com o maior serviço de oftalmologia no Rio. No fim do ano passado, o Departamento de Auditoria do SUS (Denasus) fez um relatório propondo a implantação de um banco público de olhos no Estado .

Leia mais sobre: transplante de órgãos

    Leia tudo sobre: córneariotransplante

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG