Ministério Público Militar acusa PMs do caso AfroReggae de latrocínio

O capitão Dennys Bizarro e o cabo Marcos Oliveira Sales, envolvidos no caso do assassinato de Evandro João da Silva, coordenador do grupo AfroReggae, foram acusados pelo Ministério Público Militar de latrocínio (roubo seguido de morte). As informações são do Jornal Nacional, da TV Globo. Os PMs estão presos sob acusação de não prestar socorro a Evandro, morto a tiros após assalto no centro do Rio.

Redação |

Na tarde desta quinta, Reginaldo Martins da Silva, de 32 anos, o segundo suspeito preso pelo crime, confirmou ter participado do assalto mas negou ser o autor do tiro disparado contra a vítima, de acordo com a Polícia Civil. Reginaldo, conhecido como "Renge", foi interrogado na 1ª DP do Rio de Janeiro na noite desta quarta-feira.

Segundo entrevista do delegado José Luís Duarte ao RJ TV, novas perícias poderão esclarecer quem atirou. Mas, qualquer que seja o resultado, tanto Reginaldo quanto Rui Mário Macedo, o outro suspeito detido, vão responder por latrocínio.

Desde o momento em que os dois estejam de comum acordo para praticar o latrocínio, independente de quem atirou, os dois vão responder pelas penas de 20 a 30 anos, que é o crime de latrocínio, afirmou o delegado.

Leia mais sobre Caso AfroReggae

    Leia tudo sobre: afroreggaerio de janeiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG