RIO DE JANEIRO ¿ Promotores do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) abriram nesta segunda-feira um procedimento para investigar denúncias de que um preso teria sido torturado na carceragem da Delegacia de Polícia do município de Barra Mansa, no interior do Estado do Rio.

Até o momento, o Ministério Público já colheu os depoimentos de parentes do preso, de três inspetores lotados na 90ª DP (Barra Mansa) e do delegado titular. O MP-RJ espera, ainda, a chegada do laudo pericial. Outras providências estão sendo tomadas, mas em caráter sigiloso.

De acordo com o MP-RJ, o procedimento instaurado corre paralelo à investigação que vem sendo realizada pela própria Polícia Civil. O órgão informou que tomou conhecimento do caso no último dia 6 de agosto.

O preso, vítima da suposta tortura, já foi transferido, a pedido do próprio Ministério Público para o Complexo Prisional de Bangu, na zona oeste do Rio. Segundo o MP-RJ, a Corregedoria Unificada das Polícias também foi oficiada para que o órgão adote as providências administrativas que lhe cabem.

Leia mais sobre: tortura

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.