RIO DE JANEIRO - O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) endossou nesta sexta-feira o pedido de prisão temporária feito pela Polícia Civil para Toni Ângelo Souza de Aguiar, Alexandre Manoel Ferreira Soares e Marcos José de Lima Gomes.

 Segundo o Promotor de Justiça Bruno Stibich, responsável pelo inquérito, há indícios de que os suspeitos sejam membros de milícias armadas que atuam na região oeste da capital fluminense. Toni Ângelo seria inclusive braço direito do miliciano fugitivo da Justiça Ricardo Teixeira da Cruz, conhecido como Batman.

Os três foram flagrados por câmeras de vídeo invadindo o estacionamento de um shopping na zona oeste do Rio no mês passado. Eles estavam armados e a suspeita é de que estariam procurando prováveis inimigos. As prisões, de acordo com o MP, são imprescindíveis para as investigações.

O promotor argumentou que as vítimas de milicianos não têm coragem para reconhecer os criminosos e não relatam detalhes de suas ações por causa do pavor que os grupos paramilitares exercem sobre a população. Em seu relatório, Stibich lembrou de Bruno dos Santos Pantaleão, despachante de uma cooperativa que atua na região e que foi assassinado no dia seguinte ao depoimento prestado às autoridades policiais, mesmo não tendo dito nada que comprometesse qualquer pessoa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.