Ministério Público diz que bois piratas continuam em área federal

Segundo o MP, ainda há bois sendo criados em uma área federal em Altamira, no Pará, no entorno da Terra Indígena Baú

Agência Brasil |

O Ministério Público Federal (MPF) no Pará pediu à Justiça que determine a retirada imediata de gado criado irregularmente em terra pública, os chamados bois piratas. Segundo o MPF, dois anos e meio após a decisão judicial que ordenou a retirada do rebanho, ainda há bois sendo criados em uma área federal em Altamira (PA), no entorno da Terra Indígena Baú, dos índios Kayapó.

O MPF pede que a Justiça obrigue a Polícia Federal a cumprir a decisão e que intime o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e a Fundação Nacional do Índio (Funai) a acompanhar a operação.

Até 2008, quando a denúncia foi feita, a atividade pecuária clandestina na área havia provocado a devastação de 6 quilômetros quadrados de floresta. Na época da ação, o Ibama multou um fazendeiro em R$ 2,7 milhões.

O pedido do MPF foi encaminhado à Vara Agrária e Ambiental da Justiça Federal em Belém.

    Leia tudo sobre: boi de piratapará

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG