Ministério Público denuncia 19 pessoas por fraudes contra o INSS

CAMPINAS - O Ministério Público Federal em Campinas denunciou 19 pessoas suspeitas de fraudarem a Previdência Social. Segundo o MPF, o prejuízo aos cofres públicos é de cerca de R$ 5 milhões.

Redação |

A quadrilha foi descoberta durante a Operação El Cid, realizada em 23 de junho pela Polícia Federal.

Durante a ação, a polícia descobriu que a quadrilha, formada por empresários e médicos, usava empresas fictícias ou inativas para conseguir benefícios previdenciários de auxílio-doença. No total foram usadas mais de 20 empresas falsas.

A organização contava também com aliciadores, que eram encarregados de encontrar segurados que pudessem ser usados no crime.

Conforme o MPF, a quadrilha cobrava até R$ 7.500 por faude ou 50% do valor do benefício conseguido de forma fraudulenta.

O grupo contava com a ajuda de dois médicos psiquiatras, que atestavam doenças inexistentes, para enganar os funcionários do órgão. Isso servia de base para os pedidos de auxílio-médico e até aposentadoria por invalidez.

A investigação mostrou que os aliciadores encaminhavam os pacientes para o consultório, onde eles recebiam as receitas. Cada atestado custava de R$ 100 a R$ 200.

As pessoas foram denunciadas pelos crimes de estelionato, formação de quadrilha, falsificação de documentos públicos, falsidade ideológica, uso de documento falso e tráfico de drogas, na modalidade de prescrição ilegal de remédios controlados.

Leia mais sobre fraudes no INSS

    Leia tudo sobre: fraudeinssministério público

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG