Ministério da Saúde quer acompanhamento semanal de dengue

Atualmente, acompanhamento é mensal. Ministro Alexandre Padilha enfatiza necessidade de colaboração entre governos

Agência Brasil |

O Ministério da Saúde vai implantar em cada um dos municípios brasileiros com alto risco de epidemia de dengue um sistema de monitoramento semanal de casos e diário de mortes causadas pela doença. Atualmente, o acompanhamento feito pelos secretários municipais de Saúde é mensal.

A informação foi divulgada nesta terça-feira pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, após reunião do Grupo Executivo Interministerial, com a participação de representantes das seguintes pastas: Justiça, Educação, Defesa, Turismo, Comunicação Social, Casa Civil, Cidades e Previdência Social.

“A dengue exige uma ação mais detalhada de vários setores, não só do governo federal, mas dos governos estaduais e municipais. As ações de combate aos focos do mosquito Aedes Aegypti passam por saneamento, urbanização, acesso à água, vigilância nas estradas”, explicou.

Padilha lembrou que 16 estados brasileiros registram alto risco de epidemia de dengue. Ele disse que vai solicitar aos ministérios que integram o grupo a indicação de representantes para o monitoramento regular da doença no País.

Entre as ações específicas para cada área, ele lembrou que o Ministério da Defesa vai deixar de prontidão militares que possam apoiar atividades de vigilância nas fronteiras e, se necessário, participar de mobilização em ações de atenção à saúde.

Na educação, a previsão é que a pasta reforce iniciativas, sobretudo em universidades federais e escolas técnicas, por meio de dias nacionais de mobilização. Profissionais que fazem residência médica também serão orientados.

O Ministério do Turismo deverá orientar as prefeituras dos 65 destinos considerados prioritários no turismo brasileiro, além de mobilizar agências de viagens.

A pasta do Meio Ambiente ficou responsável por reforçar a fiscalização em empresas produtoras de pneus e também nas que trabalham com a reciclagem do material, uma vez que já existe uma resolução do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama) que estabelece esse controle.

A Justiça deve apoiar estados e municípios na implementação de leis de vigilância sanitária em municípios que ainda não têm regras claras.

O Ministério da Previdência Social vai utilizar a rede de contatos de aposentados e pensionistas para a divulgação de ações de combate e de orientação sobre os riscos da dengue. A idéia é incluir ainda a pasta do Trabalho e Emprego para que a rede de trabalhadores também possa ser usada.

A Secretaria de Comunicação Social vai coordenar o grupo de assessores ministeriais responsáveis por convocar reuniões de acompanhamento de ações. A pasta das Cidades ficou responsável por dar prioridade a iniciativas nas áreas de saneamento e urbanização, sobretudo as que envolvem obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

“A meta desse grupo é intensificar ações multissetoriais. Para que os ministérios coloquem suas equipes, seus equipamentos, suas redes de secretarias para reforçar ações de caravana de mobilização”, disse. “Vamos fazer reuniões com lideranças religiosas, empresários, clubes de futebol, bancos estatais e privadas, operadoras de plano de saúde”, completou.

    Leia tudo sobre: denguecombateministério da saúde

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG