O Ministério da Saúde liberou R$ 3,7 milhões por ano para a manutenção de 38 novos Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs) em 13 Estados do País. Com a ampliação, o número de CEOs sobe para 809 no Brasil ante 100 unidades em 2004.

“Antes, quem precisava de tratamento especializado tinha de pagar um dentista particular. Com a ampliação, permitimos a oferta de todos os cuidados, desde os básicos até os avançados, pelo Sistema Único de Saúde (SUS)”, diz Gilberto Pucca, coordenador Nacional de Saúde Bucal.

AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.