O futuro ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, rebateu hoje declarações do governador do Mato Grosso, Blairo Maggi, contrário à proposta de ceder funcionários do Estado para integrar uma força nacional florestal. Minc afirmou que há um certo egoísmo por parte de Maggi em relação ao assunto.

"A partir de agora o Blairo Maggi não deve brigar comigo, deve brigar com o presidente Lula, que já bateu o martelo (sobre a criação da força nacional, que usará policiais dos Estados)", disse Minc.

Antes, ao ser indagado pela primeira vez sobre a declaração de Maggi, Minc brincou com os repórteres: "Vocês querem saber se o Blairo Maggi vai ser o comandante da minha força nacional florestal?". Minc deu as declarações na Secretaria de Meio Ambiente do Estado do Rio de Janeiro.

Segundo reportagem do jornal O Globo , Maggi disse que, se a Guarda Nacional Florestal for mesmo criada para proteger a Floresta Amazônica, como sugeriu Minc, não deverá contar com a ajuda da polícia de Mato Grosso. Pela proposta de Minc, a Guarda Nacional seria formada por policiais recrutados em diversos Estados, como a Força Nacional de Segurança Pública. "Não conte com a nossa polícia. Já temos pouco efetivo para cuidar do povo. Não tenho soldados para proteger a floresta", disse o governador, após reunião ontem com o coordenador do Plano Amazônia Sustentável (PAS), ministro Mangabeira Unger.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.