Minc rebate críticas de secretário da gestão de Marina

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, rebateu afirmações feitas por João Paulo Capobianco, secretário-executivo na gestão de sua antecessora, Marina Silva, segundo as quais ele, Minc, faz uma gestão excessivamente personalista. Capobianco era fortíssimo no ministério.

Agência Estado |

Embora tenha vindo do movimento SOS Mata Atlântica, não conseguiu aprovar o decreto sobre a mata; não dialogou nem interna nem externamente, não falou com o Congresso nem com o setor produtivo", disse Minc.

A entrevista de Capobianco foi publicada no dia 2 pelo O Estado de S. Paulo . Nela, o secretário executivo de Marina Silva afirmou que Minc foi derrotado no acordo para que a emissão de enxofre do diesel caia de 500 partículas por milhão para 50 (S-50), e tenta dizer que foi vitorioso. Minc discordou totalmente. "O Capobianco ficou cinco anos e meio no ministério e não conseguiu fazer nada para melhorar o diesel. Eu, com sete meses, fiz o acordo. Agora mesmo, nas capitais, ônibus e caminhões andam com o diesel S-50. E, em 2012, baixaremos para o diesel com 10 partículas, o S-10. Ganhamos etapas".

"Eu faço exatamente o contrário do que fez o Capobianco, que não dialogava com ninguém. A intransigência dele acabou por isolar a ministra Marina. Minha gestão é de diálogo. Para dentro do ministério, com o Executivo, com outras áreas do governo e com o Congresso." Para Minc, na gestão de Capobianco faltou isso. "Acabou por criar uma guerra entre o Ibama e o Instituto Chico Mendes, que só agora estamos resolvendo. Essa guerra fez com que o Ibama ficasse cinco meses em greve."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG