SÃO PAULO - O novo ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc (PT-RJ), disse em entrevista à rádio Bandnews nesta quinta-feira, que indicará o nome do ex-governador do Acre, Jorge Viana, para coordenador executivo do Plano Amazônia Sustentável (PAS). Antes da nomeação de Minc, Viana recusou o convite de Lula para assumir o ministério.



AE
Minc quer Viana à frente do PAS
"Eu vou sugerir que o PAS tenha o Jorge Viana como coordenador exceutivo local. Ele é um profundo conehcedor da Amazônia, é uma pessoa capacitada e acho que não vai se negar. Independente da coordenação intelectual, o PAS precisa ter uma coordenação executiva local ligada à Amazônia", disse.

Sobre sua nomeação ao Ministério, Minc afirmou que o presidente Lula deu "uma série de garantias". Entre elas, a liberdade para montar a equipe e recursos para ampliar zonas de conservação, para a recuperação das bacias hidrográficas e para manter a Mata Atlântica e Amazônica.

Sobre Marina Silva, sua antecessora, Minc declarou que não acha que Marina "não teve sucesso". "Ela foi a melhor ministra do Meio Ambiente de sempre. Aumentou áreas protegidas, enfrentou opressões econômicas, mas não conseguiu fazer tudo o que teria". Ele disse não não garantir ter sucesso "onde ela teve problemas" e afirmou esperar apoio "pessoal" de Lula.

Mangabeira Unger

A indicação do ministro extraordinário de Assuntos Estratégicos, Mangabeira Unger, para gestor do Plano da Amazônia Sustentável (PAS) é tida, nos bastidores, como um dos fatores que levou a ministra Marina Silva a pedir demissão.

Entretanto, em entrevista na manhã desta quinta-feira, Marina não confirmou se este seria mesmo um dos fatores de sua demissão. "Não posso dizer que meu gesto foi em função do Mangabeira. Não é uma questão pessoal", disse ela.

Leia mais sobre: MincMinistério do Meio Ambiente

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.