em princípio aceitar Meio Ambiente - Brasil - iG" /

Minc descarta em princípio aceitar Meio Ambiente

BRASÍLIA - Um dos nomes mais repetidos nas especulações para substituir a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, o secretário Estadual de Ambiente do Rio, Carlos Minc, descartou em princípio que possa aceitar o cargo e também demonstrou apoio à ministra demissionária.

Agência Estado |

"Eu jurei de pés juntos que não iria para Brasília", disse Minc, relatando o teor de uma conversa que mantivera com o governador do Rio, Sérgio Cabral, ontem, quando já embarcava em um vôo para Paris, onde está desde a manhã de hoje.

Divulgação
Minc foi cotado para assumir o ministério
Minc disse ainda que conhecia as pressões exercidas sobre a ministra e que havia suspeitado que o clima no governo não era bom quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não compareceu à cerimônia de abertura da 3ª Conferência Nacional de Meio Ambiente.

"Sou ligadíssimo à Marina. Temos uma história comum desde os tempos do Chico Mendes. Eu a conheci quando ainda era uma guria. Nem vereadora era", justificou, demonstrando solidariedade e reiterando sua disposição de não assumir do cargo. A única brecha no discurso de Minc foi quando ressaltou a expressão "em princípio" antes de afirmar: "Não está nos meus planos".

Saída de Marina Silva

A titular da pasta do Meio Ambiente, Marina Silva, pediu demissão na manhã desta terça-feira. De acordo com a assessoria do ministério, em caráter irrevogável. Ainda não foram divulgados os motivos do decisão da ministra.

Um ex-assessor da Marina, que não quis se identificar, porém, afirmou que o fato mais recente na lista de insatisfações da ministra foi a nomeação de Roberto Mangabeira Unger, ministro de Assuntos Estratégicos, para coordenador do Plano Amazônia Sustentável (PAS).

ABr/Valter Campanato
Lula encontrou Cabral nesta segunda no Rio
Com a demissão, a ministra voltará ao cargo de senadora, que atualmente é ocupado por seu suplente, Sibá Machado (PT-AC). Durante a tarde, Marina telefonou para o senador para comunicar que assumiria a vaga na Casa.

"A Marina é uma militante muito rígida e muito pura. Tenho certeza de que teve um motivo justo para sair", declarou Sibá Machado, destacando não saber, porém, o que teria levado a ministra a pedir demissão.

Marina assumiu o cargo em 2003, no primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ela vinha entrando em conflito com posturas do governo referentes a políticas de preservação do meio ambiente. Entre os choques, está o controle do desmatamento na Amazônia.

No início do ano, Marina chegou a apontar a produção agropecuária brasileira como responsável pelo aumento no desmatamento da floresta amazônica. A avaliação conflitou com o posicionamento do Ministério da Agricultura.

Marina era considerada um entrave ao crescimento econômico por parte de empresários e até mesmo de colegas do governo, uma vez que em sua gestão aumentou o rigor sobre a exploração da Amazônia.

(com informações da Agência Estado)

Opinião:

Leia também:

Leia mais sobre: Marina Silva

    Leia tudo sobre: marina silva

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG