Minas, São Paulo e Bahia têm maior número de prefeitos cassados

SÃO PAULO - Minas Gerais, São Paulo e Bahia apresentam lideram o ranking de cassações, em número absoluto, com 21, 20 e 17 prefeitos cassados respectivamente, segundo pesquisa da Confederação Nacional de Municípios (CNM), divulgada nesta quarta-feira. Roraima é o Estado onde, proporcionalmente, existe o maior número de possíveis candidatos à reeleição em 2008 e, coincidentemente, também é o Estado que apresentou maior índice de prefeitos cassados

Redação |

Dos 15 municípios de Roraima, 14 podem ter seus prefeitos reeleitos. Em todo o Brasil, 4.348 dos 5.562 prefeitos são possíveis candidatos à reeleição.

Segundo a CNM, o levantamento das duas últimas eleições municipais mostra que cerca de 62% dos prefeitos que poderão concorrer às eleições, efetivamente, irão se candidatar, o que representa cerca de 2.696 prefeitos. De acordo com o levantamento da Confederação, 58% destes se reelegem, efetivamente, isto é cerca de 1.563.

Veja os dados completos de reeleição por Estado

Cassações

O estudo ainda mostra que 296 não estão mais no exercício do mandato, dos quais 179 foram cassados, sendo 84 deles por supostas infrações à legislação eleitoral. O segundo principal motivo para a troca de prefeito é a morte, o que ocorreu em 58 municípios do País, sendo 11 vezes por assassinato ou suicídio.

Crimes eleitorais

As cassações por infração à lei eleitoral representam 28,4% dos casos de afastamento dos prefeitos, os atos de improbidade administrativa, 9,1%, e os demais casos de cassação, 23%.

Os crimes mais detectados pela Justiça eleitoral são: tentativa de comprar voto, uso de materiais e serviços custeados pelo governo na campanha, e irregularidade na propaganda eleitoral.

Veja a situação de cassações em cada município

Leia mais sobre: prefeitos

    Leia tudo sobre: eleiçõesprefeitos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG