Militar uruguaio deve passar por perícia médica da PF

A Polícia Federal (PF) pretende submeter o militar reformado uruguaio Manuel Juan Cordero Piacentini a uma perícia médica para saber se ele está em condições de ser transportado de ambulância para a Argentina. Acusado participar da Operação Condor, responsável pela perseguição e desaparecimento de opositores dos regimes militares que imperavam no sul do continente nos anos 70, Cordero teve sua extradição autorizada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em agosto do ano passado.

Agência Estado |

A Justiça argentina pediu a extradição para julgá-lo por crimes de violações de direitos humanos. Na terça-feira, quando os agentes federais foram à sua residência em Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul, com missão de transportá-lo até Uruguaiana, na fronteira argentina, onde seria entregue à Interpol, Cordero alegou um mal súbito, devido provavelmente a problemas cardíacos. Foi então levado a um hospital da cidade, para exames.

Até ontem seu médico particular, cardiologista Leandro Tholozan, não havia autorizado a viagem. Foi sugerida ainda a possibilidade de Cordero seguir para Porto Alegre, para realizar exames mais sofisticados. O acusado ficou conhecido pela alcunha de Coronel Cordero. Nos documentos oficiais, porém, se apresenta como major. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG